8 de out de 2009

Frases de Sarney...



"A crise do Senado não é minha. A crise é do Senado. É essa instituição que nós devemos preservar. Ninguém tem mais interesse nisso do que eu, aceitei ser presidente da Casa."



Sobre as acusações:


"É injustiça do país julgar um homem como eu, de postura austera, família bem composta, que nunca aqui encontrou de minha parte sempre se não um gesto de cordialidade. Nunca neguei um voto, a não ser no sentido de avançarmos."


"As acusações que me foram feitas nas diversas representações apresentadas ao Conselho de Ética, nenhuma coisa está relacionada com dinheiro ou prática de atos ilícitos ou desvios de dinheiro público."


"O conselho não pode abrir processo por recorte de jornal. Na coerência do meu passado, não tenho cometido nenhum ato que desabone a minha vida", afirmou.


"Avaliei que as críticas que me fizeram eram só rescaldos da eleição, mas eram mais profundas. Faziam parte de um projeto político e de uma campanha para [me] desestabilizar."


"Na coerência do meu passado, não tenho cometido nenhum ato que desabone a minha vida. Não tenho senão que resistir, foi a única alternativa que me deram."


"Todos nós somos responsáveis. Nós aprovamos aqui os atos da Mesa. O Senado no seu conjunto aprovou os atos. Temos que corrigir o que está errado. Vou levar em frente, doa a quem doer."



Sobre os atos secretos:


"Eu só conheço um ato secreto durante o tempo do presidente Médici, que declarou haver decreto secreto. Eu não sei o que é ato secreto. A comissão vai verificar a irregularidade da não-entrada em rede de atos da administração"


"'Ninguém nesta Casa sabia ou podia pensar que existiam atos secretos."


"Não dizem o que fiz de errado, porque que eu devo merecer punição?"



Sobre a divulgação de conversas interceptadas pela Polícia Federal na Operação Boi Barrica:


"Ninguém pode gravar alguém, pegar a conversa interlocutória e divulgá-la com o sigilo de Justiça, ainda mais com um senador da República, que tem foro privilegiado pelo STF [Supremo Tribunal Federal]."



Sobre a denúncia de ter favorecido seu neto:


"Em nenhum momento da minha vida faltei ou faltarei com o decoro parlamentar. Cidadão de vida ilibada, de hábitos simples, ter falta de decoro? Nunca poderiam me acusar de coisa dessa natureza. Não favoreci neto meu. Sou vítima de uma campanha sistemática e agressiva."



Pedido final aos senadores:


"Minha força não é desejo de poder. Esse cargo não me acrescenta nada, senão auguras e decepções. Mas há a certeza de que nada fiz de errado, de que as senhoras e os senhores senadores são justos. Nós nos conhecemos uns aos outros, vão me ajudar a reconstruir a paz no Senado."



Tô cansado de ser enganado!!!!!

Nenhum comentário: