1 de abr de 2009

Embraer...

O presidente da Embraer, Frederico Curado, foi crucificado por ter que demitir 4.300 empregados. Esta ação de Curado foi condenada por empregados (óbvio, eles foram os maiores prejudicados), sindicatos e, em especial, pelo governo. Mas será que o governo pode ou deve se intrometer no que as empresas privadas fazem ou não fazem??? Na minha opinião, por um lado, o governo tem direito de reclamar, afinal de contas essas demissões contribuíram com o aumento do desemprego, mas, por outro lado, a única opção para a Embraer (e olha que não estou sendo dramático) era a demissão desses 4.300 empregados. "Não me envergonho do que fiz", diz Curado. "Era preciso uma ação rápida para proteger a empresa e os outros 17 000 empregos", disse ele. Ou seja, ou ele demitia ou a tempestade ficaria pior para a empresa!!!! Uma empresa privada tem que buscar sua sobrevivência a qualquer custo, mesmo que para isso tenha que ser tomadas medidas drásticas. E no meu ponto de vista o governo não deve interferir no que uma empresa privada faz ou deixa de fazer, a não ser que ocorra abusos.

Presidente, cada um no seu quadrado!!!!

Comentem....

Nenhum comentário: